em 

TODO O SITE  

a casa de Nathalie

23.05.17

 #nathalie passos #naturalie bistrô



Foi na faculdade de gastronomia, cursada na Universidade Estácio, no Rio de Janeiro, que Nathalie Passos encontrou a sua vocação: cozinhar. Que ela gostava de comer, já sabia. Desde novinha, Nathalie cultiva o prazer da mesa em casa, onde sua mãe sempre surpreendia com alguma delícia - ela também havia feito gastronomia. Além disso, Nathalie adorava conhecer restaurantes novos, experimentar comidas diferentes e descobrir novos sabores. A curiosidade era o seu ponto de partida.


E foi essa mesma curiosidade que levou Nathalie a questionar várias coisas que rolavam no ambiente da cozinha, ainda dentro da faculdade. Quem são os fornecedores? De onde vem esses alimentos? De onde vem, pra onde vai? A busca por respostas levou Nathalie a estudar por conta própria e a se jogar numa aventura: a especialização nos Estados Unidos. "Morei 1 ano e meio em Nova Iorque, estudando no Natural Gourmet Institute. Logo fiquei encantada por tudo o que a cidade oferecia - eram muitas feiras de produtos orgânicos, com inclusive produtos de beleza. Conheci um produtor e fui trabalhar na sua fazenda, na Califórnia. Ele era vegano e eu amava poder trabalhar diretamente com a natureza, colhendo diariamente alimentos superfrescos e cozinhando", contou Nathalie.

Mas tudo mudou com um telefonema. Seu pai, no Brasil, tinha descoberto que a casinha dos sonhos de Nathalie - um pequeno e confortável espaço em Botafogo, no Rio de Janeiro - estava à venda. Era a oportunidade ideal: "Conseguimos um bom preço na casa e não pensei duas vezes: larguei tudo e voltei pro Brasil, pronta pra abrir o meu primeiro restaurante". E foi assim, quase que por acidente, que o Naturalie Bistrô nasceu.


Ainda bem. Sorte a nossa! O restaurante foi reformado pela família, que literalmente botou a mão na massa e trabalhou nos mínimos detalhes. "As pessoas perguntam se a gente contratou arquiteto, decorador, mas não. Foi tudo feito por nós mesmos!". E basta visitar o restaurante pra entender: na parede, utensílios de cozinha pessoais de Nathalie, assim como seus livros favoritos, enfeitam o restaurante. Tudo arrumado com muito carinho, com um quê de casa de vó. E é justamente assim que a gente se sente por lá: em casa!


E a comida ajuda muito a criar essa atmosfera. Esquece aquela ideia que comida natural não tem sabor. Pelo contrário: tem, e muito! Mais do que isso, no Naturalie Bistrô o sabor é imperativo. Se não for bom, nem entra no cardápio. "Não é porque é um restaurante vegetariano e saudável que não pode ser saboroso. A gente não trabalha com refinados, farinha branca, enlatados e corantes, mas abusamos de temperinhos e de tudo que a natureza dá pra trazer muito sabor pros pratos."

Que sabor! O cardápio é rotativo e varia de acordo com os ingredientes da estação, que chegam diariamente na cozinha, fresquinhos e recém-comprados na feira orgânica. Depois disso, durante a criação dos pratos, o processo se dá de uma maneira muito colaborativa e conta com a participação de todos os funcionários. "Todos sentamos e provamos os pratos, e as sugestões são sempre levadas em conta. É quase que um espaço de coworking dentro da cozinha!"




Essa união da equipe também ajuda a explicar o brilho nos olhos dos funcionários, coisa fácil de perceber por lá. Todos atendem com um sorriso no rosto e felizes em ajudar, sempre com informações superdetalhadas sobre os pratos. "Meu objetivo é ter um restaurante humano. Pra isso, trabalho com a compreensão, a liberdade e a troca, constante, entre mim e os funcionários", contou Nathalie. Lindo, né?

E o mais incrível: Nathalie vem fazendo esse trabalho incrível no auge dos seus 24 anos. Uma inspiração e tanto pra quem tá começando na cozinha, né? Ela faz questão de acompanhar de perto tudo o que rola no Naturalie e tá sempre por lá, se alternando entre a cozinha, a administração e a opinião dos clientes. "As vezes uma coisinha que o cliente disse pode virar um novo prato ou uma alteração no que já existe. É importante saber ouvir", finalizou.

Parece que eles estão sabendo ouvir direitinho, não só o que os clientes dizem, mas também o que sentem. Né?  
 
TOPO