em 

TODO O SITE  

FARM entrevista: Fernanda Mello

07.04.17

 #farm entrevista #fernanda mello #nutrição



Foi passeando pelo Instagram que encontramos o perfil da nutricionista Fernanda Mello e aí, não teve jeito: nos encantamos de cara! Pratos lindos, saborosos e coloridos dominam o feed da Fê, que compartilha dicas pra lá de espertas que ajudam seus seguidores a terem uma vida mais natureba. Paulista e formada pela Universidade São Camilo, em SP, ela tem pós-graduação em nutrição esportiva e mora atualmente na Califa, nos EUA. Por lá, a moça ainda se formou como Health Coach pelo Institute for Integrative Nutrition e é certificada como "Specialist in Fitness Nutrition" pelo ISSA (International Sports Sciences Association). Pois bem: foi essa musa, cheia de diquinhas boas pra dar, que conversou um pouco com a gente sobre nutrição, estilo de vida e cuidados com a saúde. Vem ver! 


Oi, Fê! Você pode começar se apresentando um pouco pra gente? Conta sobre a sua formação, experiências etc! 
Sou nutricionista formada há 10 anos pela Universidade São Camilo, em SP, fiz pós graduação em nutrição esportiva, alguns cursos de especialização em nutrição funcional e aqui nos Estados Unidos me formei também como Health Coach, pelo Institute for Integrative Nutrition. Também fiz outros cursos de culinária funcional, raw, e sou certificada como "Specialist in Fitness Nutrition" pela ISSA. Desde que me mudei pra Califórnia, inovei o meu atendimento, buscando uma maneira mais holística de cuidar dos meus clientes, porque sentia que ajudar só na alimentação me limitava um pouco. Aí criei o blog, pra continuar incentivando as pessoas em uma alimentação com menos industrializados e mais comidas de verdade! Sempre atendi em consultório com consultas presenciais, mas hoje em dia 90% dos meus clientes são online. O mais engraçado é que tenho muito mais contato com meus clientes do que antes. Amo muito o que faço, seja em atendimentos, testando receitas, postando no Instagram ou escrevendo no blog. 


Como você aconselha as pessoas a serem mais saudáveis no dia-a-dia? Com a rotina corrida que temos, muitas vezes fica difícil conciliar...
Supercomum pensar que só porque somos ocupadas não temos tempo pra sermos saudáveis. Isso é um bloqueio mental bem comum de qualquer pessoa que ainda não tem o hábito de cozinhar ou comer com consciência: transformamos em um bicho de 7 cabeças e isso impede que muitas pessoas pelo menos tentem começar a mudar. Mas eu juro que é muito mais simples do que imaginam e o mais importante é começar aos poucos, ao invés de querer mudar tudo de uma só vez, da água pro vinho. 

Temos que aprender a nos priorizar, saber a hora de descansar, de desconectar do trabalho, de nos exercitar e, principalmente, de se organizar! Organização na vida pessoal é tudo, ainda mais em relação à alimentação! Pra ajudar, tenha um calendário. De preferência de papel, não eletrônico, e, se possível, coloque em um lugar que você possa visualizar com frequência (geladeira é uma boa!). Marque um dia pra fazer o mercado e outro pra fazer a preparação de alimentos pra semana (pode ser no mesmo dia também), e tente ser fiel a esses dias pra se tornar rotina com mais facilidade. Umas semanas serão melhores que outras, mas o mais importante é não desanimar! 

Separem de 2 a 3 horas pra deixar algumas refeições prontas pro seu dia a dia (tenho um guia no blog pra isso, inclusive!): essas horas irão te poupar muito tempo durante a semana inteira! Não tem melhor maneira de melhorar a sua alimentação do que aprendendo a cozinhar coisas básicas com as próprias mãos. Tente também fazer pelo menos duas refeições em casa - sugiro o café da manhã e o jantar. Pro almoço, tente levar marmita pro trabalho ou escolher restaurantes com buffet de salada, por quilo, ou aquele restaurante com opções saudáveis. 


E quem pratica atividades físicas diariamente? Precisa ter que tipo de cuidados especiais com a alimentação?  
Todo mundo precisa ter cuidado especial com si próprio e valorizar a coisa mais importante que temos: nossa saúde. Existem atividades físicas que podem gerar mais inflamação nos tecidos musculares, outras que podem levar maior desidratação, ou então aquelas que requerem uma preparação especial pra competições, por exemplo. Portanto, fica difícil dizer de uma maneira geral, mas com certeza quanto mais usamos o nosso corpo, mais temos que cuidar dele! Vamos ao essencial:

Boa hidratação, priorizar alimentos que são naturalmente antiinflamatórios (gengibre, cúrcuma, açaí, salmão, óleo de coco, abacate, folhas verdes escuras, caldo de ossos de peixe e mais uma serie de alimentos) e adequação dos macronutrientes na alimentação de uma maneira inidivualizada (tomando cuidado com privações e ou excessos, por exemplo). 

Aquela pergunta que todo mundo quer fazer pra nutricionista: quais são os dez alimentos que não podem faltar na sua casa, aqueles que você não vive sem? 
(Risos) Eu vario bastante e adoro conhecer alimentos novos e de culturas diferentes, mas aqui seguem os que nunca faltam na minha casa: folhas verdes escuras; polpa de açaí sem açúcar; ovos (sempre priorizo orgânicos e como com a gema sempre!); coco (em todas as formas: seco, óleo, água); abobrinha e couve flor (superversáteis); salmão selvagem; queijo de cabra; chocolate amargo (de 70 a 80% de cacau); tahini; um bom vinho tinto (também priorizo uvas orgânicas).

E mais um segredinho: tem alguma coisa que você não resiste? Aquela besteirinha permitida só de vez em quando? rs 
Hm, eu não sinto que seria besteira, porque até mesmo o que consideramos "besteiras" eu naturalmente prefiro em versões mais naturebas. Adoro cookies! Gosto daqueles de aveia, com gotas de chocolate e etc. Docinhos em geral, mas prefiro os mais azedinhos, como chocolates com sal marinho, em geral os mais amargos! Minha família por parte de pai é mineira então cresci em volta de bolos, doces e etc... Hoje em dia adaptei meu paladar e as minhas receitas e, fora isso, temos mil versões mais saudáveis, então fica mais fácil! 


No seu insta, você compartilha muitas receitinhas vegetarianas. E por mais que o vegetarianismo cresça tanto, muita gente ainda tem dúvida sobre como repôr as proteínas sem carne. O que você indica?
Sim, minha alimentação é com menos produtos de origem animal em geral, mas não me privo e algumas vezes como carne sim! Consumo bastante ovos orgânicos e esporadicamente carne vermelha (frango não como há anos porque não gosto mesmo). Mas sempre opto por orgânicos! Acho importantíssimo saber a origem dos alimentos  e apoiar a produção consciente de animais. O maior problema da indústria alimentícia está na produção em massa, no confinamento e no mau-trato de animais, além do impacto no nosso ecossistema. Portanto, sim, nós como consumidores, que criamos a demanda, precisamos incentivar a produção de orgânicos, dos pequenos produtores e de alternativas com menos produtos animais. 

Voltando à pergunta, alguns alimentos de origem vegetal que podem ser usados como fonte proteica: semente de chia, semente de abóbora sem casca, amêndoas e outras oleaginosas, amendoim, lentilhas, quinoa, spirulina, feijões (azuki, preto, branco, etc), grão de bico, tofu orgânico e Hemp Seeds (conhecida como semente de cânhamo, infelizmente ainda não foi liberado o consumo no Brasil, mas tem um perfil nutricional incrível de proteínas e ômega 3!). E aqui vale uma dica legal: sementes e oleaginosas quando deixadas de molho em água podem ter sua biodisponibilidade de proteínas e nutrientes aumentada! Pra leguminosas sugiro deixar pelo menos 8 horas, lembrando sempre de dispensar a água de molho antes de cozinhar ou consumir!


A gente viu também que você ama bowls! Ensina a gente a preparar?  
Eu AMO comer em bowls e estimulo os meus clientes a fazerem o mesmo! Seja pra açaí, smoothies ou almoço mesmo! Acredito que bowls trazem uma sensação de conforto ainda maior, deixam a sua refeição ainda mais bonita e, de quebra, é uma boa maneira de aproveitar as "sobras" da geladeira. Ó como eu faço: 
Primeira camada, que chamo de cama: sempre coloco folhas verdes (com pelo menos um tipo verde escuro);
Segunda camada salpico alguns legumes assados, refogados ou crus;  
Em um dos cantos do bowl incluo algum carboidrato como grãos ou raízes;
Por cima sempre coloco a proteína (vegetal, ovo frito, peixes e etc) com uma pitada de pimenta do reino ou pimenta caiena;
E, pra finalizar, molho (azeite com vinagre balsâmico e fio de mel), ervas frescas ou secas e algum tipo de semente (chia, linhaça, gergelim e etc).
 

Yummi! Deu até vontade de correr pra cozinha, né? Obrigada, Fê, pelas dicas  A gente mal pode esperar pra colocar todas elas em prática! 

Ah! E aproveita pra preparar seu bowl e levar nas nossas marmitinhas! Lembra que a gente falou delas aqui?  
 

veja em novidades

outras cores >
outras cores >
outras cores >
outras cores >
outras cores >
TOPO

aperta o play

inativa