em 

TODO O SITE  

mulheres que escrevem

15.06.17

 #mulheres que escrevem



Muito se fala de protagonismo feminino, mas e na literatura

Foi juntando um tanto de “we can do it” que as amigas Taís Bravo e Natasha Silva perceberam que muitas de suas angústias e inseguranças relacionadas à escrita não eram um problema individual, mas uma consequência de discursos e estruturas sociais construídas ao longo de séculos de opressão. Assim, surgiu o desejo de trazer outras mulheres que se dedicam ao ofício da escrita pra essa conversa.
 

Começando como uma simples newsletter em 2015,  o Mulheres que Escrevem se tornou um espaço de segurança e mobilização pra descobrir e debater novas possibilidades de produção cultural e literária, focada na escrita de mulheres.


O projeto voou pro Facebook, Twitter, Instagram e pra plataforma Medium, e hoje é liderada por uma equipe de quatro mulheres que conta, ainda, com dezenas de colaboradoras convidadas ao longo destes dois anos. 
 

Estela Rosa, Laura Pires, Natasha R. Silva e Taís Bravo: idealizadoras do projeto
 
Além da curadoria, divulgação e edição de conteúdo, o Mulheres que Escrevem ultrapassa os limites virtuais, realizando encontros que debatem sobre a presença feminina no universo da escrita. “Apesar de nossas já corriqueiras inseguranças, esses encontros proporcionam exatamente o que esperávamos: trocas inspiradoras, laços mais fortalecidos e a determinação pra seguirmos juntas. A nossa intenção continua a mesma desde o início: queremos que a iniciativa contribua cada vez mais pra profissionalização e a publicação de escritoras”, explicam as idealizadoras da plataforma.


Gostou da iniciativa? Então envie seu texto e uma minibiografia para o email mulheresquescrevem@gmail.com. Caso seu texto seja selecionado, o projeto entrará em contato com você! Bora fortalecer essa rede? 
 
TOPO

aperta o play

inativa