em 

TODO O SITE  

o novo sexy

03.10.17

 #temporada de moda



A temporada de moda mal terminou, mas já disse a que veio. Entre NY, Londres, Milão e finalmente a cidade luz, as coleções de Primavera/Verão esse ano parecem cantar em alto e bom som aquela música do Justin Timberlake: I'm bringin' sexy back!

A sensualidade deu o tom nas passarelas internacionais em um mar de transparências pra lá de ousadas, decotes vertiginosos e calças de cós baixíssimo, onde cada Maison com a sua cara e personalidade apresentou o poder do corpo, sem vergonha, sem pecado e sem juízo.



Até as marcas mais femininas como a Dior se renderam a uma pegada mais sexy e noir, entre vestidos com ar de dominatrix, comprimentos super curtos e transparências. A mensagem feminista de Maria Grazia Chiuri aparece de maneira mais direta: a mulher pode sim mostrar o que bem quiser.



Já a Saint Laurent apresentou o esperado sob a direção do estilista Anthony Vaccarello, a sensualidade que é marca do italiano apareceu salpicada de referências da Maison francesa em versão mais jovem e sedutora, com decotes nada tímidos e muita pernoca de fora, em desfile estonteante aos pés da Torre Eiffel. Sem a menor modéstia!



A Rodarte por sua vez mostrou o corpo em looks absolutamente românticos em um desfile etéreo e poético com lindos acessórios criados com flores naturais e ícones ultra-femininos como rendas delicadas, lacinhos e babados.



Em Milão a Gucci apresentou a sensualidade com perfume trash, sob o olhar sempre vintage de Alessandro Michele, dessa vez mirando o lado mais clubber dos anos 80. Entre os vestidos completamente transparentes e peças pesadas no exagero kitsch do estilista, brilhou o novo acessório fetiche da marca: a pochete!



Na Calvin Klein a sensualidade apareceu elegante e discreta na textura envernizada, delineando o corpo e trazendo o fetiche em uma versão minimalista que é a cara do estilista belga Raf Simons, que vem trazendo uma nova cara pra marca.



E claro, sensualidade está muito além do corpo amostra, e foi o que mostrou a Prada em peças que exalam poder feminino ao mesclar alfaiataria masculina e cartoon em looks práticos e fortes pras ativistas contemporâneas.



Afinal, nada pode ser mais sexy do que atitude! 
TOPO