em 

TODO O SITE  

PING festival – integração, conexão e sensibilidade

19.10.17

 #ping festival



Com a correria do dia-a-dia e relações interpessoais que muitas vezes são meramente formais, acabamos perdendo a sensibilidade, a real interação e a troca de sentimentos, ideias e emoções com o outro, seja ele um desconhecido ou até uma pessoa muito querida.

Que tal a gente começar a resgatar esse nosso lado mais emocional e conectado com a gente e com o mundo a nossa volta? Uma forma bem legal de dar esse start é conhecer e participar do PING Festival que realiza sua 1ª edição no Rio com estrada gratuita e pra todas as idades!



O evento promove palestras e experiências que unem educação, arte e cultura e acontece no espaço da Escola Eleva em Botafogo, nesse fim de semana, no local que abrigava a antiga e querida Casa Daros. A programação estimula reflexão, troca, sensibilidade e interação, colocando em pauta assuntos como inclusão, movimento maker, economia colaborativa, inovação, tecnologia, alfabetização emocional e outros temas voltados pra crianças, pais e educadores. Um programão e tanto pra família toda! 

“A ideia do Ping é ser um espaço de reflexão e experimentação pra explorar o conhecimento, a criatividade e gerar transformação. Por isso é um evento gratuito e acessível, onde todas as atividades escolhidas poderão ser vivenciadas por pessoas de todas as idades. Tudo permite a interação e integração do público, desde as performances artísticas e instalações à experiência de realidade virtual, oficinas de arte, oficina maker e uma feira de trocas que acontece durante todo o dia. As atividades estão diretamente conectadas aos assuntos discutidos nas palestras, pra que a experiência seja completa!”, com a Tathi Lopes, curadora e realizadora do evento.

As palestras reúnem profissionais de campos diferentes, integrados por suas iniciativas ligadas de diversas formas à arte e educação. Entre os palestrantes, está o artista plástico Vik Muniz, idealizador do Projeto Escola Vidigal – Laboratório Cultural de Alfabetização Múltipla, o cenógrafo, designer e arquiteto Gringo Cardia, fundador da Ong Escola Spectaculu, Tonia Casarin, autora do livro “Tenho monstros na barriga”, mestre em educação, que trabalha com desenvolvimento de competências pro futuro, Janaína Melo, gerente de educação do Museu de Arte do Rio/Escola do Olhar – MAR; Clarissa Biolchini, especialista em processos de inovação guiados pelo Design, Russ Rive e Liana Brazil, fundadores do estúdio experimental SuperUber, que integra design, arquitetura e tecnologia, Mariana Ochs, designer que atua como consultora em projetos de implantação do Google For Education, Tatiana Leite, empreendedora social, fundadora da Benfeitoria, a primeira plataforma de financiamento coletivo, entre outros.

Olha só quanta atividade bacana 



Oficina Afetos Sonoros que usa diferentes linguagens unindo corpo, música, história e tecnologia, ministrada pela bailarina e coreógrafa Flávia Costa e pelo músico e artista sonoro Negalê Jones.

Intervenção urbana Ambientes Infláveis, projeto que já ganhou o mundo pelos artistas Hugo Richard e Natali Tubenchlak.  Aqui, adultos e crianças poderão entrar na instalação, mudando sua maneira de perceber o espaço.



Oficina Reciclagem das Emoções, em que os participantes praticam suas reciclagens emocionais através da confecção de esculturas de papel marchê, e do Conversando com os dragões, um laboratório corporal que mistura contação de histórias, corpo e movimento. As 2 oficinas foram desenvolvidas pela artista Lívia Moura, propositora da Vendo Ações Virtuosas (VAV), plataforma de ações coletivas entre arte contemporânea, pedagogia radical e decrescimento econômico.



Em Linhas, performance do premiado artista plástico Tulio Pinto, o público terá contato com uma obra lúdica em constante transformação, criada a através de balões de gás hélio. A realidade virtual se faz presente também em projeto da dupla Russ Rive e Liana Brazil, o SuperViz que proporciona uma experiência coletiva pra troca de informações e compartilhamento de ideias.



Ah, uma feira de trocas vai rolar entre as crianças e adolescentes ao longo do evento! Os pequenos e os nem tão pequenos assim podem levar brinquedos e livros pra serem trocados, olha que demais! Uma maneira engajada e divertida de repensar o consumo.
O cinema ao ar livre vai fechar com chave de ouro as atividades do sábado. A ação é uma maneira de relembrar o saudoso cinema da Casa Daros, que marcou o espaço enquanto existiu.

O público vai poder escolher o que deseja comer nos food trucks que estarão estacionados por lá, durante todo o evento: o COGU, Pizza al Taglio, TAPI e Espetto Carioca são alguns deles. Pra arrematar, bicicleta de pipoca gourmet, brownie e pão de mel também marcam presença.

O PING é uma Realização da Cardápio de Ideias e ID Cultural, com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Secretaria Municipal de Cultura, da Cultura Inglesa e da Nasajon Sistemas, e apoio da Escola Eleva e da Universidade Estácio de Sá.
E a gente já super animada pra conferir o resultado desse evento que é amor purinho! 
 
TOPO