em 

TODO O SITE  

sons do deserto

19.04.17

 #bruno natal #coachella



O festival Coachella começou no último fim de semana e fui convidado pela FARM pra fazer uma cobertura via Instagram Stories do que de melhor estiver acontecendo por lá nos próximos dias de festival, entre 21 e 23 de abril. Com um periscópio direto do deserto vou mostrar, fora os shows, todo o ambiente, bastidores, cenografia, comportamento e lifestyle, revelando a experiência além do que se vê no palco. 


Por mais popular que tenha se tornado o Coachella, viajar pro deserto é sempre uma experiência que induz a introspecção. Seja olhando as montanhas na estrada ou em contato direto com os cactus num passeio pelo parque Joshua Tree, a energia do deserto de Sonora é inescapável. Vale muito reservar ao menos um dia na ida ou na volta de Los Angeles pra conhecer os arredores.

Ainda que o entorno de Indio, cidade onde fica o Empire Polo Field, onde acontece o festival, seja bastante desenvolvido (a badalada Palm Springs fica a 25 minutos de lá) e o evento reúna 100 mil pessoas em cada um dos três dias de seus dois finais de semana, a atmosfera mística é amplificada por um dos mais potentes aditivos existentes: a música.


E é a música o maior atrativo do Coachella. Não tem pool party, festinhas, desfile de moda, maravilhosas barracas de comida e nem visual que faça frente a uma escalação com shows de mais de 100 dos artistas mais desejados do momento. E só fechar os olhos, (quase) todo o resto some e o que resta é a música. 

Com tanta oferta do que assistir, é bom se preparar pra ao menos se concentrar nos imperdíveis. Esse ano a lista tá caprichada: Kendrick Lamar, Father John Misty, Glass Animals, Bonobo, Chicano Batman, Sampha, SOHN, D.R.A.M., Bicep, King Gizzard & The Lizard Wizard, Nicolas Jaar, mura masa, Gucci Mane, Four Tet, Car Seat Headrest, Daphni aka Caribou, Thundercat, Future Islands, Real Estate, Lee Fields & The Expressions, NAO, Allah-Las, SOFI TUKKER e Whitney. 


Programação do primeiro dia de festival

Tudo muito bom, tudo muito bem, até você se dar conta que é quase impossível logisticamente conseguir assistir mais de oito shows no mesmo dia. E complica ainda mais quando saem os horários de todos os sete palcos oficiais (e ainda tem mais uns outros menores, patrocinados por marcas, espalhados)… É muito difícil escolher o que assistir quando há coincidência de não apenas dois, mas três nomes da lista de desejos original. Como escolher entre o soul eletrônico do Sampha, as produções do Bonobo e a psicodelia do King Gizzard & The Lizard Wizard? A melhor forma é deixar-se guiar pela música, ir no feeling e focar no que está assistindo, não no que está perdendo.

Copo meio cheio, sempre.


Co-fundador e diretor criativo do Queremos! e WeDemand, Bruno Natal é documentarista e jornalista, com mestrado em Goldsmiths, University of London. Dirigiu e produziu filmes como "Dub Echoes", sobre a influência do dub jamaicano no surgimento do hip hop e da música eletrônica, além de ter registrado alguns dos maiores artistas brasileiros, de Chico Buarque a Jota Quest. É consultor do canal Multishow e colabora no desenvolvimento de projetos, como o Prêmio da Música Brasileira. Escreveu por 5 anos uma coluna semanal sobre música e cultura digital no jornal O Globo e edita o blog URBe há 14 anos.

Ah! E o Bruno montou cinco playlists inspiradas no festival pra gente ir entrando no clima. Vem ouvir aqui

veja em novidades

outras cores >
outras cores >
outras cores >
TOPO

aperta o play

inativa