em 

TODO O SITE  

todo dia é dia... de ler!

26.04.17

 #dia do livro #literatura


Dia 23 foi dia de São Jorge (Salve Jorge!), mas também foi dia do livro, o que nos lembrou de um outro grande Jorge, o Amado, tradutor absoluto das cores e tempeiros da Bahia. Pai de Tieta, Thereza Batista, Gabriela e tantas outras mulheres míticas, Jorge merece ser reverenciado em qualquer época, como literatura deliciosa e imprescindível pra amar ainda mais o nosso país 


E como não existe um só Brasil, entre tantos diferentes Estados e estados de graça, a sociedade carioca também teve suas histórias contadas por Machado de Assis. O criador de Capitu e "seus olhos de cigana oblíqua e dissimulada" é considerado um dos mais importantes escritores do mundo e até Wood Allen já se declarou fã!


O Rio também vivia no coração selvagem de Clarice Lispector. Judia nascida na Ucrânia, mas brasileira de corpo e alma, a escritora será pra sempre referência na tradução de sentimentos inomináveis e de uma intensidade que não se mede. Toda mulher precisa ter ao menos um livro de Clarice ao alcance das mãos.


Já São Paulo emprestou sua energia pra Lygia Faguntes Telles, mais uma autora indispensável, contar algumas de suas grandes histórias: As Meninas, um retrato belo, feminino e denso do Brasil nos tempos de ditadura, é uma dessas, entre tantas outras histórias maravilhosas contadas pela autora.


O escritor João Felício dos Santos pode não ser lembrado, mas basta chamar a lista de seus grandes personagens, que contam histórias que ajudaram a definir e formar o povo brasileiro, pra você reconhecer. Ganga-Zumba, Carlota Joaquina e Anita Garibaldi são alguns dos nomes que permeiam seus romances históricos, sendo o maior deles, a fabulosa Xica da Silva.


Personagem e escritora se misturam na obra de outra grande autora brasileira: Carolina Maria de Jesus, a catadora de lixo que foi descoberta, nos anos 60, guardando em seu barracão mais de vinte cadernos-diários, entre eles "Quarto de Despejo". Traduzido pra mais de 13 idiomas, o livro narra com dor e poesia o dia-a-dia em uma favela e se tornou um marco da literatura no Brasil.


Nossa listinha cresce com o vencedor do prêmio Camões desse ano, Raduan Nassar, com a poesia de Drummond, Ana Cristina César e Hilda Hilst, com o Nordeste encantado de Ariano Suassuna, o sertão de Raquel de Queiroz e Guimarães Rosa e tantos outros...

São tantas outras histórias maravilhosas que moram nos livros brasileiros e tantos encantos, mares e sotaques que moram no Brasil! 

veja em novidades

outras cores >
outras cores >
outras cores >
outras cores >
outras cores >
TOPO

aperta o play

inativa