em 

TODO O SITE  

versacemania

28.09.17

 #versace



Pense em lacre, fechamento, xão... não existe termo que defina o final do desfile da Versace da Semana de Moda de Milão, quando algumas das modelos mais poderosas do mundo cruzaram a passarela juntas ao som do hit Freedom, seguindo a platinada estilista Donatella Versace.



Mais do que modelos superpoderosas, Naomi Campbell, Cindy Crawford, Claudia Schiffer, Carla Bruni e Helena Christensen (sentimos falta de Linda Evangelista e Christy Turlington!) são as fundadoras oficiais do club de Top Models, e muito disso se deve a Gianni Versace, que vivia cercado por suas musas e amigas pessoais.



O grande homenageado da noite soube como poucos transformar a moda num símbolo de status e diversão, e passados 20 anos de sua morte volta ao nosso imaginário com todos os símbolos de poder que fizeram da Versace o fetiche fashion absoluto dos anos 90.




Esqueça o minimalismo que parecia dar o tom da década, a marca combinava todo o barroco italiano com tons fortes e cítricos, acessórios super marcantes, logomania e chuva de dourado em peças que exalavam um luxo sexy que todo mundo queria ver e viver. Tudo ao mesmo tempo agora!



Anos após assumir a marca, Donatella aproveitou a data pra abrir o baú da Versace e trazer de volta algumas das estampas mais marcantes criadas pelo seu irmão, como as onças, correntes douradas, estrelas do mar, o pop art e a cara de leão que era sua assinatura.



Tudo com ar saudosista e um pé no presente, representado pela modelagem renovada e pelo casting poderoso que incluia Kaia Gerber, filha de Cindy Crawford, Kendall Jenner e claro, as irmãs Hadid, do jeitinho que Gianni ia amar!



O legado "barroco-kitsch" do estilista italiano também baixou no ir e vir das ruas de Milão e em outros desfiles badalados como o da Gucci, indicando que uma onda maximalista chegou pra ficar.

Mas mais do que isso, a vontade de se sentir livre pra exagerar... e se divertir. Obrigada Gianni! 
 
TOPO